o instituto boletim de indústria animal


Programa de Pós-Graduação em Produção Animal Sustentável

 

NORMAS COMPLEMENTARES AO REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL SUSTENTÁVEL DO INSTITUTO DE ZOOTECNIA - APTA - SAA – SP

(Atualizadas em 08/04/2019)

 

 I -  DA SECRETARIA ADMINISTRATIVA DE PÓS-GRADUAÇÃO

1. O CPPG será auxiliado por uma Secretaria Administrativa, que terá as seguintes atribuições:

- organizar e manter atualizado o cadastro de alunos e docentes;

- organizar o horário das disciplinas a cada período letivo;

- elaborar e encaminhar correspondências e ofícios ao corpo discente e docente, bem como às instâncias superiores e órgãos externos;

- encaminhar ao CPPG os processos para exame;

- providenciar a expedição de certificados, atestados e demais documentos necessários, obedecendo ao prazo de 5 (cinco) dias úteis entre o pedido formal (por escrito ou por email) e a entrega do certificado e ou atestado;

- secretariar as reuniões do Conselho do Programa de Pós-Graduação (CPPG) e exames de Qualificação e Defesas de Dissertações;

- realizar o atendimento pessoal ou por outros meios, ao corpo docente e discente bem como ao público externo ao Programa;

- elaborar e manter atualizadas as informações sobre o Programa a serem divulgadas ao público externo.

- elaborar, para cada aluno, um atestado/certificado por semestre e uma cópia do Histórico por semestre em que esteja matriculado no Programa. As demais cópias serão cobradas conforme tabela em vigência.

  

II - DA ORIENTAÇÃO, CREDENCIAMENTO E RECREDENCIAMENTO DOS DOCENTES

1.    O número máximo de alunos por orientador é 4, sendo também permitidas 2 co-orientações (casos especiais serão julgados pelo CPG).

2.  Recredenciamento de docentes do programa: O credenciamento dos orientadores serão válidos pelo prazo de 4 anos e seguirão as normas estabelecidas pela CPPG. Ao final dos quadriênios estabelecidos pela CAPES será realizado o recredenciamento de todos os docentes do Programa, obedecendo às seguintes condições referentes ao período em questão, considerando os seguintes itens:

a)      Regularidade de publicação e linha de pesquisa condizente com o programa de pós-graduação;

b)      No quadriênio de 2017 a 2020 a nota mínima exigida para os credenciamento de novos docentes é de 1,5 EqA1/ano (produção total) e 1,0 EqA1(A1,A2,B1)/ano (produção em periódicos qualificados);

c)      Regularidade de ingresso de aluno e de defesas – mínimo de 1 aluno a cada 2 anos

d)     Publicação dos artigos oriundos das Dissertações dos alunos orientados (máximo 3 anos) – pelo menos metade dos orientados devem ter seus artigos publicados.

e)       Projeto aprovado em Agência de Fomento – mínimo de 1 projeto a cada 4 anos

f)       Ter oferecido, pelo menos, uma disciplina regular a cada 2 anos.

3.  Descredenciamento dos docentes do programa:

a)      No quadriênio de 2017 a 2020 a nota mínima exigida para os credenciamento de novos docentes é de 1,5 EqA1/ano (produção total) e 1,0 EqA1(A1,A2,B1)/ano (produção em periódicos qualificados);

b)      No período avaliado (4 anos), dois anos sem nenhuma publicação; e

c)      Ter pelo menos um projeto aprovado no quadriênio em Agência de Fomento.

d)     Se o docente não atingir as metas dos itens a ou b ou c do item 3, será descredenciado.

4.  Para o credenciamento de novos docentes é necessário:

4.1        O Conselho do Programa de Pós-graduação abrir edital para a disciplina que estiver deficitária;

4.2        O docente ter no mínimo de três anos doutoramento;

4.3        Após abertura do edital o docente inscrito será avaliado seguindo as normas de avaliação da CAPES (QUALIS/CAPES) na área de Zootecnia e Recursos Pesqueiros, sendo nesse período as notas mínimas exigidas de (média dos últimos 4 anos):

a)      No quadriênio de 2017 a 2020 a nota mínima exigida para os credenciamento de novos docentes é de 1,5 EqA1/ano (produção total) e 1,0 EqA1(A1,A2,B1)/ano (produção em periódicos qualificados);

b)      Financiamento de pelo menos 1 projeto/3anos, em agências de fomento a pesquisa;

c)      O candidato que tiver, no período avaliado (4 anos), dois anos sem nenhuma publicação, não poderá ser credenciado;

d)     Ter pelo menos um projeto aprovado no quadriênio em Agência de Fomento.

5.    No primeiro ano de credenciamento o docente deverá, obrigatoriamente, salvo casos plenamente justificáveis analisados pelo CPPG, abrir no mínimo uma vaga e no máximo duas para orientação. Durante o primeiro quadriênio de credenciamento o docente poderá ter, no máximo, 2 (dois) alunos com o curso em andamento. A abertura de mais vagas pelo mesmo orientador estará condicionada a média dos últimos 4 anos da nota de artigos equivalente A1 por ano e a nota de artigos qualificados  (A1, A2 e B1) por ano (classificados pelo Qualis CAPES) do docente.

6. Docentes credenciados que não atenderem às condições acima estabelecidas entrarão em processo de descredenciamento, sendo impedidos de orientarem novos alunos e de serem responsáveis por disciplinas ao final do segundo ano do quadriênio CAPES.

 

III - DAS OBRIGAÇÕES DOS DOCENTES

 1.      Após o encerramento das disciplinas, o docente deverá obrigatoriamente entregar à Secretaria Administrativa de Pós-graduação os formulários de notas e frequências devidamente preenchidos e assinados no prazo máximo de 30 (trinta) dias.

 

IV – DO CANCELAMENTO DE TURMAS DE DISCIPLINAS

1.  Poderá ocorrer o cancelamento de turmas de disciplinas quando não houver atingido o número mínimo de alunos por turma ou quando houver solicitação do ministrante por motivo de força maior e aprovada pelo CPPG.  O cancelamento por número insuficiente de alunos deverá ser realizado antes do início da turma e quando for por motivo de força maior até 30% da duração da disciplina. CPPG terá no máximo 15 dias para deliberar sobre o assunto.

 

V- DOS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE ALUNOS DO PROGRAMA

1.      Cada docente poderá ter, no máximo, 4 (quatro) alunos no PPG-PAS em andamento. Um novo orientado só será aceito mediante defesa de um dos alunos já matriculados. Quando necessário o docente pode solicitar mais uma vaga para orientação de aluno que deve ser encaminhada para a coordenação do PPG-PAS com 45 dias de antecedência ao processo seletivo. Este pedido será analisado pelo CPPG que pode ou não autorizar a abertura de mais uma vaga para o docente.

2.      Cada docente deve enviar para a coordenação do PPG-PAS o número de vagas disponíveis (respeitando o item 1: Cada docente poderá ter, no máximo, 4 alunos no PPG-PAS em andamento)  até 30 de maio para o processo seletivo do 1º semestre e até 30 de novembro para o processo seletivo do 2º semestre dos anos letivos, para que na abertura do processo seletivo.

3. Os documentos para inscrição, os pré-requisitos, número de vagas disponíveis a relação de orientadores, os itens de avaliação de currículo, a nota de cada item e a média final de aprovação, os temas e a bibliografia indicados para o processo seletivo, constarão em Edital específico, a ser divulgado semestralmente pelo CPPG e estarão no site do programa: http://www.iz.sp.gov.br/pos/

4. A comprovação de proficiência em língua inglesa para todos os alunos, e em língua portuguesa para os alunos estrangeiros, está descrito no Item XI desta Norma. 

5.      O exame de seleção terá periodicidade semestral, nos meses de maio e novembro, e o número de vagas estará condicionado à disponibilidade dos orientadores e à capacidade potencial do Programa.

6.   Os candidatos deverão entrar, previamente, em contato com os professores orientadores pretendidos, de acordo com a linha de pesquisa de interesse. O candidato que não possuir a anuência prévia do orientador deve ser encaminhado para a coordenação do programa para que o mesmo seja auxiliado na escolha da área de pesquisa pretendida e do orientador.

7.   A seleção dos alunos de Mestrado será feita da seguinte forma:

1ª Etapa: comprovação de proficiência em língua inglesa para todos os alunos, e em língua portuguesa para os alunos estrangeiros conforme disposta no Item XI desta Norma.

2ª Etapa: Prova Escrita com 5 (cinco) questões, valendo dois pontos cada uma. As questões serão formuladas com base no programa disponível no site (http://www.iz.sp.gov.br/pos/). Os alunos que obtiverem nota igual ou superior a 5 (cinco) serão classificados e selecionados para  a terceira etapa do processo seletivo.

3ª Etapa: Análise de Curriculum Vitae: Será dada ênfase às atividades de pesquisa, publicações em revistas indexadas, resumos apresentados em congressos, organização de eventos e iniciação científica. A nota atribuída será de acordo com a publicação do edital do processo seletivo.

Após estas três etapas os alunos serão classificados e selecionados para ingressarem no programa de acordo com o número de vagas definidas previamente pelo programa, e informado no Edital do processo seletivo. O candidato deverá ser aprovado nos critérios supracitados para ser selecionado e a nota final de classificação será: Pontuação total = {(PCV/MGC x 6,0)+(NP/MGP x 4,0)}, em que PCV = pontos do currículo; NP = nota prova (conhecimentos gerais e conhecimentos específicos); MGC =Média Geral do currículo; MGP= Média Geral da Prova (conhecimentos gerais e conhecimentos específicos).

 

8. A inscrição deverá ser feita na Secretaria Administrativa da Pós-graduação mediante a seguinte documentação:

- Ficha de inscrição;

- 1 foto 3X4;

- Histórico escolar do curso superior concluído “sujo” constando reprovações (1 cópia simples);

- Cópia simples do diploma ou atestado de conclusão do curso superior;

- Curriculum Vitae documentado extraído da Plataforma Lattes do CNPq (poderá ser obtido no endereço: www.cnpq.br) (anexar fotocópias simples de todos os documentos mencionados no currículo);

- RG (1 cópia simples);

- 2 (duas) cartas de recomendação feitas por profissionais manifestando-se quanto aos antecedentes acadêmicos, profissionais e/ou técnicos do candidato. Não serão aceitas cartas enviadas por FAX ou e-mail. Somente serão aceitas cartas originais assinadas (modelo disponível no site);

- Para candidatos com vínculo empregatício, carta da instituição de origem concordando com o treinamento pretendido;

- Comprovante de recolhimento da taxa de inscrição.

 

9. As datas de  inscrição e seleção para novos alunos serão estabelecidas pelo CPPG, publicadas em portarias, contendo também os critérios exigidos.

 

10. A representação discente (titular e suplente) deverá ser escolhida, semestralmente, por votação entre os alunos matriculados do curso, obedecendo à convocação da coordenação.

 

 

VI - DA ADMISSÃO DE ALUNO ESPECIAL

1.      O aluno especial ficará sujeito às normas do aluno regular, sendo sua admissão condicionada à existência de vaga na disciplina pretendida e à anuência do CPPG.

2.      Para solicitação de admissão, o candidato deverá preencher formulário específico para esse fim, contendo o aval do(s) responsável(is) pela(s) disciplina(s) a ser(em) cursada(s).

3. Para o aluno especial:

- é vedada matrícula em mais de duas disciplinas em um mesmo semestre e na disciplina Seminários;

- não é necessário estar formalmente matriculado em outro curso de pós-graduação.

 

 

VII- DA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE DISSERTAÇÃO

1.      O Projeto de Dissertação deverá conter Título, Resumo, Introdução com Revisão Bibliográfica, Objetivo, Material e Métodos, Referências Bibliográficas e Cronograma de Execução, especificando inclusive a data prevista para defesa da Dissertação.

2.      O Projeto de Dissertação deverá apresentar a concordância do diretor do Centro do IZ envolvido, atestando o interesse da Instituição na sua execução, devendo ser incluído na Carteira de Projetos da mesma.

3.      O projeto que o aluno executar deverá estar cadastrado no Sistema de Gestão de Projetos, integralmente ou como parte de um projeto maior, contendo o nome do aluno no registro.

4.      O não encaminhamento do Projeto no prazo estabelecido pelo CPPG implicará no desligamento do aluno do curso.

5.      O orientador poderá submeter ao CPPG, a qualquer tempo, pedido de alteração ou substituição do Projeto de Dissertação, cabendo ao CPPG pronunciar-se sobre a aceitação ou não do pedido, justificando sua decisão em caso de não aceitação.

 

VIII - DA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS

1.  A cota da bolsa Mestrado atribuída anualmente ao Programa pelos órgãos de fomento CAPES/CNPq é em função da avaliação anual, em que são considerados, principalmente, a produtividade discente/docente, tempo médio da titulação e fatores relacionados às atividades em andamento, infraestrutura, internacionalização entre outros.

2.  Bolsas CAPES e CNPq porventura recebidas pelo Programa serão atribuídas pela Comissão de Atribuição de Bolsas seguindo os critérios estabelecidos.

3.   A Comissão de Atribuição de Bolsas será composta por 02 (dois) docentes e o Coordenador do Programa.

4. Mediante a cota de bolsas CAPES/CNPq recebida pelo Programa, a Comissão de Atribuição de Bolsas, atribuirá as bolsas conforme o ranking classificatório estabelecido no processo seletivo, que leva em consideração o desempenho do aluno nas provas de conhecimentos gerais, conhecimentos específicos e pontuação do curriculum, respeitando os seguintes critérios:

- ausência de vínculo empregatício;

- prazo máximo de 24 meses;

- desempenho do aluno no semestre anterior (quando o aluno já está matriculado regularmente no programa);

- critérios específicos das agências de fomento.

 

 5. No caso de haver alunos de dois processos seletivos diferentes concorrendo pelas cotas de bolsas, o ranking classificatório será feito novamente, isto é, serão misturados alunos de um e de outro processo seletivo, considerando os desempenhos em seus respectivos processos seletivos, e as cotas de bolsas disponíveis serão atribuídas aos melhores classificados.

 

6.      O aluno já contemplado com a cota de bolsa que obtiver dois conceitos “C” em disciplinas cursadas durante o período do mestrado ou um conceito “D” em qualquer disciplina perderá a bolsa, que será disponibilizada para o próximo aluno classificado no ranking.

 

IX - DA COORIENTAÇÃO

 

1.   Um docente da casa ou externo à instituição, com titulação mínima de Doutor, não necessariamente credenciado no Programa, poderá ser reconhecido como co-orientador quando:

- o projeto de Dissertação tiver caráter interdisciplinar, requerendo a co-orientação parcial de um especialista em uma área de pesquisa diversa do domínio do orientador;

- da ausência prolongada do orientador;

- ocorrerem outras situações que determinem esta finalidade, de acordo com análise do CPPG.

 

2.  A solicitação de reconhecimento da co-orientação, em formulário próprio, acompanhada de justificativa e uma cópia do diploma de doutorado do co-orientador, deverá ser encaminhada ao CPPG.

 

3.  Após a aprovação do CPPG, os dados do co-orientador serão encaminhados à Secretaria Administrativa para cadastro no Programa.

 4.    Os co-orientadores poderão participar das bancas do exame de qualificação dos seus alunos, junto com os respectivos orientadores. Para as banca de defesa só será permitida a participação de um deles, ou seja, ou o orientador ou o co-orientador será membro da banca.

 

X - DAS DISCIPLINAS CURSADAS EM OUTROS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

 

1.      Créditos em disciplinas cursadas como aluno regular ou como aluno especial em outros cursos de pós-graduação de reconhecida excelência pela CAPES, poderão ser validados, a critério do CPPG, até o máximo de um terço do total de créditos exigidos para integralização dos estudos, desde que cursados dentro do prazo estabelecido para o Mestrado.

 

2.      Ao término da disciplina o aluno deverá apresentar os seguintes documentos para validação dos créditos pelo CPPG: atestado de frequência, ementa da disciplina cursada e carga horária, todos devidamente assinados pelo responsável da Instituição.

 3.      Toda disciplina cursada fora do Programa deverá ser validada antes do exame de qualificação do aluno.

 

 

XI - DO EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA

1.    O Exame de Proficiência em Língua Inglesa pode ser realizado no primeiro dia do processo seletivo (serão realizados dois exames por ano, nos meses de maio e novembro).

2.    Serão aceitos como certificação de proficiência em língua inglesa os exames reconhecidos pela CAPES (TEAP, TOEFL, ALLUMINI, IELTS e CAMBRIDGE), sendo considerados aprovados os que obtiverem aproveitamento igual ou superior a 55% da nota máxima (por exemplo: com nota mínima necessária e data válida para o período de mestrado, deve apresentar este certificado no ato da inscrição e será dispensado da 1ª fase do exame (prova de inglês) - TEAP: igual ou superior a 55; TOEFL iBT: igual ou superior a 65; IELTS: igual ou superior a 5,0). Este certificado deve ser apresentado no ato da inscrição como documento obrigatório para inscrição

3.      Serão ainda aceitos como proficientes em língua inglesa, os alunos que comprovarem pelo menos um ciclo completo de estudo (fundamental, médio ou superior), ou vínculo de estágio ou curso de, pelo menos, 1 ano em instituições de ensino e/ou pesquisa em país de língua inglesa.

4.      Para os alunos estrangeiros, será aceito para o exame de proficiência em português o exame reconhecido pela CPPG do PPG-PAS (CELPE-BRAS), sendo considerados aprovados os que obtiverem aproveitamento igual ou superior a 70% da nota máxima. 

5.      Serão ainda aceitos como proficientes em língua portuguesa, os alunos que comprovarem pelo menos um ciclo completo de estudo (fundamental, médio ou superior), ou vínculo de estágio ou curso de, pelo menos, 1 ano em instituições de ensino e/ou pesquisa em país de língua portuguesa.

 

XII - DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO

1. O Exame de Qualificação será composto por: 1) apresentação do trabalho; e 2) arguição por cada membro da banca. A apresentação realizada pelo candidato é feita na forma de aula pública, com duração de 20 a 50 minutos, envolvendo a apresentação oral do(s) trabalho(s) redigido(s) resultante(s) do projeto de pesquisa desenvolvido junto ao Programa e a arguição é restrita aos membros da banca e coorientadores (quando for o caso).

 2. O Orientador deverá encaminhar ao CPPG a solicitação de realização do exame de qualificação (formulário disponível no site), contendo: data e hora de realização e lista de nomes sugeridos e respectivos e-mails, para constituição da Banca. A solicitação deverá estar acompanhada de: 1) Uma cópia impressa do trabalho; e 2) Uma versão do trabalho (CD-ROM) em PDF. O trabalho deve seguir as normas disponíveis  no site da instituição.

 3.    A responsabilidade de entrega dos três exemplares (impressos ou eletrônicos) dos membros titulares da comissão examinadora e o exemplar do co-orientador, é única e exclusiva do aluno. Fica proibida a entrega de exemplares no Protocolo da Instituição para envio pelos Correios.

 4.      A versão do trabalho em PDF será enviada por e-mail para os membros suplentes da comissão examinadora, pelo CPPG, e, caso o suplente venha a ser acionado, fica sob a responsabilidade do aluno a impressão e entrega do exemplar.

 4. O Exame de Qualificação deverá ocorrer no mínimo 10 dias úteis após a aprovação do exame pelo CPPG.

 5. O Exame de Qualificação deverá ocorrer entre 120 e 45 dias antes da data prevista para a Defesa da Dissertação.

 6. O não comparecimento do candidato ao exame implicará na reprovação do mesmo.

 7. Caberá ao candidato entrar em contato com os membros da banca, definindo dia e hora da realização do exame e comunicar, via ofício, os membros efetivos e suplentes da banca.

 8. Em caso de haver algum membro externo ao Programa na banca de qualificação, cabe ao aluno verificar se tal membro possui cadastro válido junto à Secretaria de Pós-graduação antes da homologação do exame pelo CPPG. Caso o membro não possua o cadastro válido, fica sob a responsabilidade do aluno providenciar, junto ao membro da banca, os documentos necessários para o cadastro (formulário específico e cópia do diploma de doutorado).

 9. A sessão pública será aberta pelo presidente da Banca Julgadora, comunicando ao candidato o tempo estipulado e autorizando o início da mesma.

 10. Ao término da exposição oral o candidato será arguido e submetido à avaliação pela Banca.

 11. Em caso de reprovação, um novo exame deverá ocorrer em tempo hábil, com relação ao prazo máximo estabelecido para a Defesa da Dissertação. Somente será permitida a realização de dois exames de qualificação. Caso o candidato não seja aprovado no segundo exame, sua matrícula no Programa será cancelada.

 12. O aluno só poderá entrar com o pedido de qualificação depois de cumprir os créditos em disciplinas exigidos pelo curso e ter sido aprovado no exame de proficiência.

 13. A obediência as Normas para Elaboração de Dissertação, na ocasião da entrega do trabalho para qualificação, será exigida.

 

 

XIII - DA DEFESA DA DISSERTAÇÃO

1.      O Orientador deverá encaminhar ao CPPG a solicitação de realização do exame de defesa (formulário disponível no site), contendo: data e hora de realização e lista de nomes sugeridos e respectivos e-mails, para constituição da Banca. A solicitação deverá estar acompanhada de: 1) Uma cópia impressa da dissertação; e 2) Uma versão não definitiva da dissertação (CD-ROM) em PDF. A versão não definitiva dissertação deve seguir as normas disponíveis  no site da instituição.

 

2.      A responsabilidade de entrega dos três exemplares (impressos ou eletrônicos) dos membros titulares da comissão examinadora e o exemplar do co-orientador, é única e exclusiva do aluno. Fica proibida a entrega de exemplares no Protocolo da Instituição para envio pelos Correios.

 

3.      A versão não definitiva da dissertação em PDF será enviada por e-mail para os membros suplentes da comissão examinadora, pelo CPPG, e, caso o suplente venha a ser acionado, fica sob a responsabilidade do aluno a impressão e entrega do exemplar.

4.      A ficha catalográfica somente será exigida, após a Defesa, na entrega da versão final.

5.      O candidato somente entrará com os exemplares definitivos da defesa após assinar o termo, juntamente com o orientador atestando  que todas as correções sugeridas na qualificação foram acatadas ou devidamente justificadas.

 3. A defesa pública deverá ser realizada, no mínimo, 10 dias úteis após a sua homologação em reunião do CPPG.

4. A Banca Examinadora da Dissertação de Mestrado será constituída por 3 (três) membros titulares, e 2 (dois) suplentes, portadores do título de Doutor, sendo pelo menos um titular e seu respectivo suplente não vinculados ao Programa de Pós-Graduação e ao Instituto de Zootecnia. Cabe ao orientador ou co-orientador a Presidência da Banca.

- No caso da Banca de Defesa de Dissertação de Mestrado ser presidida pelo co-orinetador (com a anuência do orientador), o orientador não poderá integrar a Banca como mebro.

- A Banca de defesa pode ser composta por no máximo um membro que já tenha feito parte da banca de qualificação (respeitando a regra de que pelo menos um membro externo à Instituição deve integrar a Banca de Defesa).

5. Cabe ao aluno verificar se os membros externos (titular e suplente) possuem cadastro válido junto à Secretaria de Pós-graduação antes da homologação da defesa pelo CPPG. Caso os membros não possuam o cadastro válido, fica sob a responsabilidade do aluno providenciar junto aos membros da banca, os documentos necessários para o cadastro (formulário específico e cópia do diploma de doutorado).

6. Na defesa pública da Dissertação, fica assegurada ao candidato a exposição sobre o trabalho realizado, antes da arguição, num período de 30 a 40 minutos.

 7. Após a exposição o candidato será arguido pelos membros da Banca, cabendo a cada membro no máximo 1 (uma) hora para fazê-lo, incluindo o tempo de resposta às arguições pelo candidato.

 8. Após a arguição o candidato será avaliado pelos componentes da banca, com base na qualidade da dissertação, da exposição oral e do desempenho durante a arguição, sendo a avaliação expressada através da atribuição dos conceitos: Aprovado ou Reprovado.

 9. A Banca Examinadora emitirá parecer escrito, na forma de ata, segundo modelo estabelecido pelo CPPG, devendo constar da mesma a atribuição dos conceitos Aprovado ou Reprovado e pode haver sugestão de mudança de título da dissertação. O conceito final será definido pela maioria simples dos membros.

 10. A reprovação no exame de defesa da dissertação implicará no desligamento do aluno do Programa, sem direito a receber o diploma de Mestre. Todavia o mesmo terá o direito de receber o certificado de participação em todas as atividades desenvolvidas durante o curso.

 11. A aprovação da defesa pública da Dissertação deverá ser homologada em reunião ordinária do CPPG. O encaminhamento da Dissertação para homologação pelo CPPG e posterior emissão de diploma pela Instituição, somente será efetuado mediante entrega dos exemplares definitivos da Dissertação, com todas as correções sugeridas pela Banca e a ficha catalográfica, em, no máximo, 30 dias corridos após a defesa.

 12. A homologação da dissertação e consequente encaminhamento para UNICAMP para registro do diploma deverão ser feitos mediante cumprimento das normas pré-estabelecidas e do pagamento da taxa de diploma, estipulada pela UNICAMP.

 

 

XIV - DA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO E PROCEDIMENTOS DE DEFESA

1. Os exemplares definitivos da dissertação deverão ser entregues à Secretaria do Programa, em até 30 dias após a defesa (dias corridos), em número de 08 (oito) exemplares, encadernados em brochura, com capa de papel brilhante branco, conforme modelo disponível.

- Devem também ser entregues um CD, com a dissertação gravada em PDF; um arquivo em DOC contendo título, ficha catalográfica, resumo e abstract (enviar por e-mail ao pgiz@iz.sp.gov.br).

- Na ocasião do depósito da dissertação definitiva, o aluno deverá deixar o comprovante de depósito identificado para a confecção do Diploma (ver valor com a secretária da PG).

 

2. A formatação da dissertação deverá obedecer às  Normas para Elaboração de Dissertação do PPG-PAS do IZ.




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir


Rua Heitor Penteado, 56 - CEP 13380-011 - Nova Odessa - São Paulo - Brasil
Fone (19) 3476-0964 - Fax (19) 3476-0961 - iz.pg@sp.gov.br