Consumo, digestibilidade dos nutrientes e parâmetros ruminais em ovinos alimentados com rações contendo grão seco de destilaria com solúveis

  • L. J. V. Geron Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • J. Garcia Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • A. M. Zanine Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • S. C. Aguiar Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • E. L. Sousa Neto Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • E. J. H. Paula Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • L. C. Diniz Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • L. S. Roberto Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • K. S. M. Coelho Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • I. S. Santos Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • J. T. H. Carvalho Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
  • F. Palermo Neto Universidade do Estado de Mato Grosso, Pontes e Lacerda, MT
Palavras-chave: co-produto, milho, nitrogênio amoniacal, pH ruminal.

Resumo

Objetivou-se avaliar a inclusão de 0%; 8%; 16% e 24% de grão seco de destilaria com solúveis (GSDS) na alimentação de ovinos sobre o consumo e o coeficiente de digestibilidade total (CD) dos nutrientes e parâmetros ruminais. Foram utilizados quatro ovinos com peso corporal (PC) médio de 23,5 ± 1,5 kg, distribuídos em um delineamento em quadrado latino. Os ovinos foram alocados em gaiolas de metabolismo e receberam duas refeições por dia. Os dados de consumo e CD dos nutrientes dos ovinos foram submetidos à análise de variância e as diferenças observadas foram testadas utilizando equação de regressão a 5% de probabilidade. Para as variáveis pH e concentração do nitrogênio amoniacal (N-NH3) do líquido ruminal a análise estatística foi procedida considerando a subdivisão da parcela, considerando os tempos de avaliação após a alimentação dos animais. A inclusão 0%; 8%; 16% e 24% de GSDS na alimentação de ovinos não alterou (P>0,05) o consumo de matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e ácido (FDA) e carboidratos totais (CHT) expressos em g/animal/dia, g/kg PC0,75 e %PC. Porém, a inclusão do GSDS alterou (P<0,05) de maneira quadrática o consumo de extrato etéreo (EE) e carboidrato não fibroso (CNF) expresso em g/animal/dia e g/kg PC0,75. Os valores de pH do líquido ruminal não diferiram (P>0,05) para os diferentes níveis de inclusão do GSDS na alimentação de ovinos. Contudo, o pH do líquido ruminal diferiu (P<0,05) em relação ao tempo (T) após a alimentação, para todas as rações experimentais. Os níveis de inclusão do GSDS na alimentação dos ovinos não influenciou (P>0,05) a concentração de N-NH3 do líquido ruminal, contudo houve efeito quadrático (P<0,05) com relação ao tempo para todas as rações experimentais. A inclusão de 24% do grão seco de destilaria com solúveis não altera o consumo e o CD dos nutrientes com exceção aos CNF além, de não alterar os parâmetros ruminais.
Publicado
01-11-2017
Como Citar
Geron, L., Garcia, J., Zanine, A., Aguiar, S., Sousa Neto, E., Paula, E., Diniz, L., Roberto, L., Coelho, K., Santos, I., Carvalho, J., & Palermo Neto, F. (2017). Consumo, digestibilidade dos nutrientes e parâmetros ruminais em ovinos alimentados com rações contendo grão seco de destilaria com solúveis. Boletim De Indústria Animal, 74(3), 255-268. https://doi.org/10.17523/bia.v74n3p255
Seção
NUTRIÇÃO ANIMAL

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)