Uso de duas fontes de ureia na dieta de cordeiros mestiços terminados em sistema semi-intensivo

  • Sarita Bongurio Gallo Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), Departamento de Zootecnia, Pirassununga, SP
  • Eduardo Crespi Alves Pereira Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU), Uberaba, MG
  • Vivane Aparecida Amin Reis Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG
Palavras-chave: Dorper, ganho de peso, qualidade da carne, ureia encapsulada

Resumo

O estudo comparou o efeito de grupo genético e dieta com duas fontes de ureia sobre características de desempenho, carcaça e carne de cordeiros. O experimento foi realizado na FAZU, Uberaba, MG. Utilizaram-se 12 cordeiros mestiços Dorper e 12 mestiços Texel, oriundos de cruzamento de matrizes Santa Inês com reprodutores puros de origem de cada raça. Os cordeiros foram divididos em dois grupos e mantidos em piquetes de capim Áries (Panicum maximum cv. Áries), recebendo concentrado contendo ureia pecuária ou ureia encapsulada, à vontade. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial onde se avaliou as duas fontes de nitrogênio não proteico e dois grupos genéticos (mestiços Dorper ou Texel). As médias foram avaliadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Os tratamentos não influenciaram o ganho de peso diário (0,256 kg/dia). O uso da ureia encapsulada proporcionou maior rendimento de carcaça quente e fria quando comparada a dieta com ureia pecuária. As perdas por resfriamento foram menores para os mestiços Texel (3,87%) em comparação aos mestiços Dorper (6,88%). A espessura de gordura (1,81 mm), conformação (2,98), valores de L (36,77), teor de a* (6,04), teor de b* (6,73) e força de cisalhamento (5,68 kgf) não foram alterados pelos tratamentos empregados. A ureia encapsulada proporcionou maior rendimento de carcaça e menor perda no resfriamento.
Publicado
31-01-2015
Como Citar
Gallo, S., Pereira, E., & Reis, V. (2015). Uso de duas fontes de ureia na dieta de cordeiros mestiços terminados em sistema semi-intensivo. Boletim De Indústria Animal, 72(1), 8-13. https://doi.org/10.17523/bia.v72n1p8
Seção
NUTRIÇÃO ANIMAL